dúvida

Entendendo o Consórcio e o Financiamento

Primeiramente, vamos esclarecer como funcionam cada um desses sistemas de aquisição de bens para, então, ver a diferenças entre consórcio e financiamento.

No financiamento, você assina com um banco ou instituição financeira um contrato no qual ela adquire para você o bem que deseja comprar (paga ao vendedor/proprietário do bem). Em troca, você paga ao banco várias parcelas até dar o valor do bem adquirido mais os juros firmados. 

No empréstimo, você recebe o dinheiro, e, com ele, adquire o bem pelo qual você mesmo pagou logo de cara.

Já no consórcio, são várias pessoas pagando diferentes valores de parcelas focando em comprar um tipo de bem (por exemplo, uma moto).

Nesse caso, todos os meses, com a soma das parcelas pagas pelos participantes, a empresa organizadora realiza um sorteio, e, então, o membro sorteado recebe uma carta de crédito com o valor acordado para realizar a compra do bem desejado.

Entretanto, ele pode fazer o que bem entender com essa carta de crédito. Tanto comprar a moto que ele buscava, quanto encontrar uma usada com preço mais baixo ou também ficar com o dinheiro da carta de crédito.

Ao dar lances acima da média dos cotistas, você tem maior a chance de ser sorteado mais rapidamente. Além disso, há também a possibilidade de que você dê um grande valor de uma vez e receba o bem logo de cara. 

No consórcio, você pode receber o bem rapidamente ou pode ter que esperar certo tempo para isso. 

Independente do tempo em que receber a carta de crédito, você deve pagar todas as parcelas até quitar o saldo da dívida. 

Algumas pesquisas foram feitas, e elas mostram que cada vez mais pessoas estão aderindo aos consórcios. Mas como saber se eles são melhores para sua posição e objetivo?

Quando o consórcio é melhor que financiar?

Acima de tudo, para definir qual é melhor para a sua situação, você deve entender qual é o seu objetivo e em quanto tempo você quer cumpri-lo. 

Como dissemos mais acima, no consórcio, você não tem uma data exata na qual terá o bem desejado. Por isso, se tiver mais pressa para obter esse bem, o financiamento pode ser mais interessante para você. 

O consórcio é melhor quando você não tem pressa em adquirir um bem. Você estará tão confortável em tê-lo agora quanto em um ou dois anos. Justamente por causa dessa imprecisão de tempo, os juros cobrados nos consórcios são, em média, menores que os do financiamento. 

Além disso, se você tiver com mais dinheiro disponível agora para gastar com esse bem, o consórcio pode ser a melhor escolha também, pois você pode oferecer lances maiores e aumentar suas chances de receber o bem mais rapidamente. 

Quando o financiamento é melhor que o consórcio?

Acima de tudo, o financiamento é melhor quando você tem pressa em adquirir o item desejado (como uma casa própria, por exemplo). Isso porque o banco (ou empresa) que está financiando comprará o bem e te entregará. Com isso, você já estará usufruindo do novo item enquanto paga o banco ou instituição aos poucos.

As taxas cobradas em financiamentos variam de uma instituição para outra e também de acordo com o seu resultado em bancos de dados do Serasa e SPC. 

Normalmente, em um financiamento, você precisa dar uma entrada maior do que o valor das parcelas e ter algo que garanta que você pagará o acordo. Avalie se essa entrada aumentaria suas chances de conseguir mais rapidamente o item através do consórcio ou se é melhor usá-la no financiamento mesmo. 

Agora, quer conhecer algumas boas empresas de financiamento e consórcio? Fizemos uma lista para te ajudar na pesquisa e, assim, a encontrar boas taxas e condições. 

Boas empresas que oferecem financiamentos:

  • Caixa;
  • Santander.

Boas empresas que oferecem consórcio:

  • Rivel;
  • Rede Oeste.

Conhecendo melhor as empresas e suas propostas de financiamento

Caixa

A Caixa possui 3 planos de financiamento principais referentes às suas taxas: as que são pré-fixadas, as que são atreladas ao IPCA e as que são atreladas ao TR (Taxa Referencial). 

Nas pré-fixadas, como o nome diz, você já acerta com o banco quanto pagará nas parcelas até o fim do contrato, sem alterações, independente do que acontecer com o mercado, com os preços em geral e com a taxa de juros básica (SELIC). 

Quanto ao financiamento com juros pré-fixados, os valores dependem de sua relação com o banco e de sua negociação com o mesmo. 

Já as que são atreladas ao IPCA e à TR variam de acordo com esses índices. 

O IPCA é o Índice de Preços ao Consumidor e ele mede a variação de preços de um mês para outro em itens básicos que todos consumimos como alimentação, moradia, educação, transporte e vestuário. Se o IPCA subir, sobem também as taxas atreladas a ele, e o oposto ocorre se ele descer. 

Já a TR, Taxa Referencial, foi criada com o intuito de servir como referência para os juros no Brasil para que se pudesse controlar a inflação. Hoje usa-se a TR para corrigir empréstimos, financiamentos e investimentos. 

Santander

Até o fim de 2019, o máximo que você conseguiria, em um financiamento do Santander, era 80% do valor total do imóvel. Mas, desde o início deste ano, o valor máximo subiu para 90%!

Esse novo valor percentual se aplica aos financiamentos nos quais suas parcelas sofrem mudanças de acordo com o mercado (IPCA e TR).

Caso você tenha um bom histórico de pagamentos com o Santander, você pode pagar taxas tão baixas quanto 7,99% ao ano. 

O banco espanhol afirma que requer uma entrada de 10% do valor do imóvel e libera até 420 parcelas (35 anos) para pagar. Contanto que o imóvel seja estimado em pelo menos 90 mil reais. 

Conhecendo melhor as empresas de consórcio e suas oportunidades:

Consórcio Imobiliário da Rede Oeste

Fundada na década de 1990, a Rede Oeste atua em grande parte do território brasileiro e, justamente por isso, tem qualidades que atendem a todos:

  • Atendimento pessoal;
  • Muitas opções de prazo;
  • Crédito liberado rapidamente;
  • Sem cobrança de juros;
  • Assembleias que podem ser assistidas via internet ou fisicamente;
  • Variedade de opções para fornecedor e para bem.

Além disso, é importante que você saiba: na Rede Oeste, o valor mínimo mensal das parcelas é de R$235,81, você pode pagar em até 92 vezes, e o valor mínimo do imóvel deve ser de R$11.990 e máximo de R$312 mil.

Rivel

Já voltada para o mercado de automóveis (em especial, de motos), a Rivel é diferente no ramo de consórcios, pois ela permite que você escolha o quanto quer pagar nas parcelas. 

Além disso, a Rivel tem como vantagens:

  • Não cobrar juros;
  • Você define seus prazos e planos;
  • Os sorteios são feitos diretamente pela Rivel.

Então, gostou do conteúdo? Entendeu a diferença entre consorcio e financiamento? Qual você achou que é melhor para você, financiamento ou consorcio?

Criamos este conteúdo com a expectativa de te ajudar na sua caminhada financeira. Caso tenha qualquer crítica ou sugestão, não hesite em nos contar nos comentários!

Ainda sobrou alguma dúvida sobre como funcionam os consórcios? Então é só clicar no botão abaixo e ver as demais informações que separamos para você!

#consorcio #ou #financiamento

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*