financiamento

Todos temos aquele medo de pegar um empréstimo ou financiamento e acabar pagando juros caríssimos com condições desfavoráveis, certo?

Visando te ajudar a resolver essa angústia, este conteúdo tem como foco ajudar você e o seu negócio a entender qual opção é mais vantajosa usando dois bancos que são os maiores financiadores de empresas privadas no país.

Acima de tudo, veja pequenos conselhos que o auxiliarão na busca, os benefícios e malefícios de cada parte, e entenda qual é mais interessante para seu negócio.

Sempre buscando medir os pontos

Para aqueles que vivem ou possuem negócio no Sul do país, um dos bancos com melhores condições é o BDRE (Banco de Desenvolvimento do Extremo Sul). Mas, claro, não é a única opção e suas condições nem sempre são as melhores.

Outro banco que pode ser o favorito nessa lista é o famoso BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento.

Normalmente os empreendedores só descobrem que poderiam ter pego melhores taxas e/ou condições quando já é tarde demais. Mesmo que o procedimento já esteja em andamento, é primordial que você fique de olho.

É aconselhável que você busque saber os benefícios de fechar com bancos como FINEP, BDRE e BNDES antes de assinar o contrato.

Resumimos aqui 3 etapas para você conseguir ver e decidir qual a melhor opção para você.

Escolhendo o melhor financiamento em 3 passos:

1ª Etapa) Taxa de Juros do Financiamento e CET

A taxa de juros é dos fatores mais importantes para se escolher um financiamento ou empréstimo. Qualquer casa decimal a mais ou a menos pode fazer uma diferença substancial no seu negócio.

Como os bancos competem por você, é sua função caçar aquele que tem a menor taxa de juros no mercado!

Entretanto, é importante afirmar que a taxa de juros não é a métrica mais importante para se definir qual o plano de financiamento mais barato e qual o mais caro.

Saiba que a métrica mais importante de todas para se comparar diferentes planos (seja de financiamentos ou também de empréstimos) é a CET, ou Custo Efetivo Total. Isso porque nela estão inclusos todos os custos que você terá mês a mês com as parcelas.

No CET, você tem a soma da taxa de juros, impostos, tarifas e quaisquer outros gastos que você tenha com as parcelas e também ao fim delas. Mais importante, lembre-se de que os bancos e instituições financeiras são obrigados a te informar o CET do plano no contrato antes de você assiná-lo.

2ª Etapa) Entenda o que está em jogo com as garantias exigidas

Acima de tudo, todo e qualquer financiamento requer uma garantia por parte de quem recebe o financiamento. Saiba que tipo de garantias você está disposto a dar e busque por bancos e empresas do setor que aceitem esse tipo de garantia.

Caso sua empresa seja do tipo pequena ou média, você pode usar fundos garantidores, que dão mais segurança aos bancos.

3ª Etapa) Questão de amortização e prazo de carência do financiamento

O período de carência deve ser grande o suficiente para que dê tempo da sua empresa começar a pagar o financiamento sem matar suas finanças.

Quanto menos você paga mensalmente, mais interessante o empréstimo é para você, isso por causa do prazo de amortização. E quanto mais tempo para você começar a pagar também.

Como o mercado é muito volátil, e, com isso, suas taxas mudam constantemente, não tem como decidir qual é o melhor banco em definitivo. Você deve sempre usar os conselhos acima para avaliar a melhor opção no momento.

Com certeza ao aplicar essas dicas, você encontrará as melhores opções!

Agora, uma dúvida que milhares de nosso leitores tem é qual a diferença entre empréstimo e financiamento? Como saber quando um ou outro é melhor para você?

Pensando nisso, fizemos um guia completo sobre Empréstimo x Financiamento. Quer ler esse guia? Então clique no botão abaixo!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*